15 Comentários

  1. Oi meu nome é Risalina meu esposo estro com divorcio letiguiso eu gostaria de sabe se eu posso manda meu adivigadi assinar por mim pos nao quero ver meu esposo motivo psicologico

    1

    Responder
    1. Direito Familiar

      Olá, Risalina! Tudo bem?

      Se o seu esposo entrou com o pedido judicial de divórcio e você concorda com o pedido, bastará que seu advogado junte uma petição nos autos informando isso, aí vocês não precisam nem se encontrar. Ou, o seu advogado poderá conversar com o dele, e juntos poderão elaborar um acordo de divórcio para que vocês assinem. Neste caso, não precisarão se encontrar também.

      Sobre divórcio, sugerimos a leitura dos seguintes artigos:

      “Como funciona o processo judicial de divórcio amigável?”
      http://direitofamiliar.com.br/voce-sabe-como-funciona-o-processo-judicial-de-divorcio-amigavel/

      “Quero me divorciar! E agora?”
      http://direitofamiliar.com.br/quero-me-divorciar-e-agora/

      Atenciosamente,
      Equipe Direito Familiar.

      Responder
  2. Ana Luísa

    Olá. Estou com divórcio litígio desde de 2015. Já foi concedido o divórcio e falta a partilha dos bens. E ainda não houve acordo entre meu ex e eu. Caso a juíza não decida a partilha judicialmente, com o passar dos anos eu perco meus direitos parcial dos bens??? Quanto tempo máximo pode durar a divisão de bens, depois de divórcio litigioso??

    Responder
    1. Direito Familiar

      Olá, Ana Luísa!
      Tudo bem?

      Você não perderá seus direitos com o passar dos anos. Muitos casais demoram para fazer a partilha, o que às vezes pode causar certo tumulto se, eventualmente, o patrimônio começar a ser dilapidado.

      Os seus direitos sobre os bens garantidos por Lei permanecerão, mesmo que demorem 10 anos para fazer a partilha, o que esperamos que não aconteça. Não há um tempo máximo para que a partilha de bens ocorra, e não há como precisar quanto tempo levará para que ela aconteça, já que a Vara de cada cidade pode ter um andamento diferente.

      Estamos torcendo para que tudo se resolva rapidamente.

      Atenciosamente,
      Equipe Direito Familiar.

      Responder
  3. Joice

    Boa noite. Por favor. Uma dúvida. Estou C processo litigiso desde 2017. Meu ex marido foi embora. Foi citados inúmeras vezes e nd. Temos um filho menor. Agora o advogado me pediu três testemunhas. P escrever uma cartinha.. Dizendo sobre meus cuidados.. Guarda de fato.. Etc. C xerox d RG de cada um. Tbm a declaração de matrícula. Bem como frequência escolar. Já levei Td. Inclusive boletim. Carteirinha d convênio. Declaração de curso q ele faz. Carteira de natação.. E agora Ql sera o próximo passo? O juiz pode averiguar e dá a sentença. Ou tera audiência? Agradeço desde já.

    Responder
    1. Direito Familiar

      Olá, Joice! Tudo bem?

      Não temos como dizer qual será o próximo passo, pois não temos acesso ao processo.

      De qualquer forma, a partir do seu relato, podemos perceber que seu advogado está te orientando adequadamente. Os documentos solicitados por ele servem para demonstrar que seu filho está sendo bem assistido pela senhora, o que justificaria a manutenção da guarda.

      Se o juiz que está atuando no caso – bem como o Ministério Público – entender que já há provas suficientes nos autos, pode-se julgar antecipadamente a demanda, ou ainda, pode-se solicitar a produção de outras provas (inclusive a designação de audiência para oitiva das partes ou de testemunhas), para complementar as já existentes nos autos, antes de proferir uma sentença.

      Mantenha o diálogo frequente com seu advogado para acompanhar o andamento do processo!

      Estamos torcendo para que tudo se resolva da melhor maneira possível e rapidamente!

      Atenciosamente,
      Equipe Direito Familiar.

      Responder
    1. Direito Familiar

      Obrigada pela sua mensagem! Continue acompanhando o canal!

      Atenciosamente,
      Equipe Direito Familiar.

      Responder
  4. gilmar de carvalho

    boa tarde.

    ontem tive a primeira audiencia do meu divorcio….sou casado em regime de comunhão parcial de bens. filhos sao maiores….Minha ex ainda mora na residencia, que é herança deixada pelo meu pai e mae. Minha ex disse que a casa pertence também á ela.
    pergunto: tenho o formal de partilha com dados da residencia, contrato de compra e venda , enfim…tudo mostra ser imovel de herança. Quando o juiz ver estes documentos, ele poderá solicitar a imediata retirada da ex do imovel?.
    fico no aguardo….desejando a voces uma tarde de paz.

    Responder
    1. Direito Familiar

      Olá Gilmar,

      Como vocês são casados sob o regime da comunhão parcial de bens, teoricamente, o bem que você recebeu a título de herança não será partilhado entre os ex-cônjuges, e será considerado um bem particular seu (isso poderia ser diferente se o imóvel tiver sido deixado de herança para o casal, expressamente). Apesar disso, para a retirada imediata dela do imóvel, o juiz analisará outras circunstâncias e, por isso, não podemos e, nos cabe, adiantar qual será o posicionamento do magistrado.

      Sobre o tema, sugerimos a leitura dos artigos:

      “Regime da comunhão parcial de bens – Parte 1”
      http://direitofamiliar.com.br/regime-da-comunhao-parcial-de-bens-parte1/

      “Regime da comunhão parcial de bens – Parte 2”
      http://direitofamiliar.com.br/comunhao-universal-de-bens-parte-2/

      Esperamos ter ajudado!

      Atenciosamente,
      Equipe Direito Familiar.

      Responder
  5. nilcilene

    Gostaria de saber se é possível depois de ser cncluido o divórcio , a outra parte pode pedir a sentença do divórcio e dar baixa no casamento no cartório para pedir a certidão . Já que a outra parte não o fez e desapareceu.

    Responder
    1. Direito Familiar

      Olá, Nilcilene!
      Tudo bem ?!

      Não sabemos como funciona nos cartórios da sua região, mas aqui em Curitiba, geralmente quando sai a sentença decretando o divórcio, o próprio cartório das Varas de Família informa ao cartório civil que registrou o casamento, através de um mandado de averbação. O mandado de averbação é um documento confeccionado a partir da sentença, que informa sobre o divórcio entre a partes e eventuais alterações de nome, quando existirem.

      Caso o cartório da Vara não envie este mandado de averbação, basta que um dos interessados pegue uma cópia deste documento e apresente junto ao cartório de registro.

      É algo bem simples de ser feito.

      Esperamos ter ajudado!

      Atenciosamente,
      equipe Direito Familiar.

      Responder

  6. In fact when someone doesnt understand then its up to other visitors that they will help, so here it takes place. ecddefgdfcbfdkdd

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *