6 Comentários

  1. Gabriel Felipe

    Parabéns pelo artigo Doutores.

    Por gentileza, sendo possível, apreciaria ler um artigo sobre o contrato de namoro, porque ultimamente está em comento sua natureza e função de proteger o patrimônio adquirido após o início da união, onde nada se comunicará. Acredito que ninguém fará um contrato para mostrar que se ama.
    Tenho dúvidas ao respeito do instrumento. É necessário ou não e quando para impedir a repartição dos bens? Por que dependendo das provas, pode-se conseguir um direito que cabe à união estável se, por exemplo, o par tiver morado junto.

    Responder
    1. Direito Familiar

      Olá, Gabriel!
      Tudo bem?

      Que bom que gostou do artigo!

      Anotamos aqui sua sugestão e vamos desenvolver alguma coisa em cima do tema!

      Continue nos acompanhando!

      Obrigada pela mensagem e contribuição!

      Uma boa semana.

      Abraços,
      equipe Direito Familiar.

      Responder
    1. Direito Familiar

      Obrigada Gustavo!
      Continue nos acompanhando.

      Equipe Direito Familiar

      Responder
    1. Direito Familiar

      Obrigada por seu comentário! Que bom que gostou! Faça seu cadastro aqui no blog para continuar acompanhando os textos semanalmente!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *